domingo, abril 19, 2015

Pela primeira vez

A TALHE DE FOICE

Por Machado da Graça

A questão da EMATUM está-se a tornar um escândalo de cada vez maiores proporções.

O jornal Canal de Moçambique acaba de descobrir que existe, em Amsterdão, na Holanda, uma empresa chamada Mozambique EMATUM Finance. E que foi através dessa empresa que se fizeram as operações financeiras do recebimento do dinheiro emprestado.

Só que, quando aquele jornal contactou com a Directora Geral da EMATUM, em Maputo, Cristina Matavele, a senhora afirmou desconhecer completamente a existência de tal empresa em Amsterdão. Segundo ela, estava a ouvir falar pela primeira vez dessa empresa pela primeira vez.

SOBRE A XENOFOBIA

E se os ataques xenofobicos se aconteessem num país ou em países da União Europeia o que teríiamos visto em termos movimentação de chefes de governos? Näo teriam estado em Bruxelas? Será que os chefes de governos não teriam estado em Bruxelas a debater sobre a questão e medidas a tomar? E os partidos políticos incluindo os da oposição que teriam feito? Os partidos da oposicão não estariam agora em acção na luta contra a a xenofobia até aproveitando-se da “camradeship” dos governantes dos países da SADC?

O Rei da Xenofobia


sábado, abril 18, 2015

Dhlakama acusa Forças de Defesa e Segurança de perseguição à Renamo

O líder da Renamo, Afonso Dhlakama, denunciou ontem alegadas perseguições a militares residuais sob seu comando, no distrito de Guijá, província de Gaza, onde recentemente foram registados incidentes militares com as Forças de Defesa e Segurança (FDS).
Falando num comício popular presenciado por centenas de populares e simpatizantes do seu partido, no posto administrativo de Sena, distrito de Caia, em Sofala, Dhlakama ameaçou dizendo que caso as perseguições prevaleçam, poderá perder a paciência e deixar que os seus comandos retaliem.  “Ainda ontem dispararam, eu a dizer ‘ninguém responde’. Mas acabarão por responder”, alertou o líder do maior partido da oposição.

Fonte: O País – 18.04.2015

sexta-feira, abril 17, 2015

Moçambicanos fecham estrada com África do Sul em retaliação contra xenofobia

Um grupo de moçambicanos, maioritariamente trabalhadores da construção civil, cortou hoje a principal estrada entre Moçambique e a África do Sul durante cerca de 30 minutos, em retaliação contra a xenofobia, disse à Lusa um comandante da polícia moçambicana.
"Um grupo de trabalhadores da empresa WHO barricou-se no Km 4 e impediu o tráfego, dizendo que é por causa da xenofobia contra moçambicanos na África do Sul, mas a polícia reabriu a circulação 30 minutos depois", disse Afonso Ruco, comandante da Polícia da República de Moçambique (PRM) no distrito de Moamba, a 80 quilómetros da capital moçambicana e que faz fronteira com a África do Sul.

Operários da Sasol em Inhambane expulsam colegas sul-africanos

Em retaliação aos actos de xenofobia contra moçambicanos na África do Sul, os trabalhadores nacionais da Sasol em Inhambane expulsaram das instalações daquela empresa perto de 250 cidadãos de nacionalidade sul-africana que ali trabalham.
Os cidadãos em causa são colaboradores da multinacional Sasol, no distrito de Inhassoro, em Inhambane. Os funcionários de cidadania moçambicana da empresa exigem o repatriamento imediato dos seus colegas de nacionalidade sul-africana e querem que nunca mais regressem ao país, uma medida vista como forma de retaliar os actos de xenofobia praticados por sul-africanos.
A manifestação foi, porém, pacífica, com os moçambicanos a exibirem cartazes questionando as razões do ataque xenófobo e exibindo imagens de cidadãos vítimas da xenofobia na “terra do rand”. E  gritavam: “abaixo a xenofobia”, enquanto os sul-africanos abandonavam as instalações daquele empresa, levando as suas bagagens.

Fonte: O País online – 17.04.2015

terça-feira, abril 14, 2015

Residentes fogem de confrontos no sul de Moçambique

Vários residentes fugiram depois de confrontos, há algumas semanas, entre guerrilheiros da RENAMO e o exército governamental. Ao ver homens armados nas ruas, as pessoas ficaram com medo.

Enquanto o Governo e a RENAMO permanecem num longo braço de ferro devido a questões governativas, a população do distrito de Guijá, na província de Gaza, vê a sua vida destabilizada.

OBSERVADORES E O DIÁLOGO POLÍTICO



Fonte: TIM - 14.04.2015

Edmundo Galisa Ma#1A1FCA4

segunda-feira, abril 13, 2015

Só 65% dos professores moçambicanos conseguiram subtrair 86-55

Um inquérito do Banco Mundial sobre a educação em Moçambique indica que o país tem o índice mais baixo de competência dos professores, em comparação com outros cinco Estados africanos.
"Do grupo de sete países que participaram na nossa análise, Moçambique tem, ao nível da competência dos professores, o nível mais baixo", disse Ezequiel Molina, pesquisador e economista do Banco Mundial, durante a apresentação do inquérito sobre os Indicadores de Prestação de Serviços (IPS) do setor da Educação, realizada no dia 1 de abril em Maputo.

Tem Graça

TEM graça. Certos deputados da bancada da Frente de Libertação de Moçambique (FRELIMO) não concordam com determinadas alíneas do Programa Quinquenal do Governo (PQG) mas são incapazes de apontar dedos e requerer a correcção àquilo que entendem não estar bem no documento.
O medo de serem confundidos com a oposição lhes invade a mente de tal modo que até se ressentem de coceiras nalgumas partes do corpo.

Há, pelo meio, militantes frelimistas corajosos que ao jeito de manipulação vão dando azo à sua graça. Estes, estrategicamente vociferam contra a bancada da Resistência Nacional Moçambicana (RENAMO) e só depois se concentram ao essencial.

Esta roda que os deputados dão atacando a oposição antes de enumerar o que pretendem ver modificado no PQG, tem por objectivo evitar que os colegas ou as chefias os classifique de intrusos dentro do grupo; feitos com os outros, e outros são indivíduos da RENAMO e um bocadinho os do Movimento Democrático de Moçambique (MDM).

E na sexta o PQG voltou a não ser elevado à votação, muito por mérito da presidente da Assembleia da República, Verónica Macamo, que tratou de empurrar a discussão até à exaustão, permitindo que as bancadas esgotem os seus argumentos e Carlos Agostinho do Rosário tome nota do essencial das discussões, independemente de onde vierem as propostas e do modo como forem explanadas. Jerónimo Malagueta, RENAMO, esclarecera na quinta- feira que o voto contra o PQG em sede plenária, não tinha nada a ver com o ‘SIM’ declarado na comissão especializada, onde alinhou com os colegas do sector.

Na comissão, o homem não concordou com o documento, mas a maioria acabou dando aval positivo com o qual o PQG foi estampado na síntese, o que não quer dizer que ele (Malagueta) esteja totalmente em concordância com o projecto governamental.

De resto, nas discussões plenárias, o PQG aparece no seu todo, não em forma especializada sector-a-sector.

Ainda Esperança Bias da quinta-feira. A antiga ministra vagueou, vagueou pelas ‘matas’ das províncias de Maputo, passando pelas de Gaza, Inhambane, Manica, Sofala, Zambézia, Nampula, Niassa, Tete, entre elogios aquí e acolá a Filipe Jacinto Nyusi e à gloriosa FRELIMO, até se estabelecer no essencial, o que mais interessava o grupo de ministros e vice- -ministros encabeçado por Agostinho do Rosário: sugestão para a atenção que deve ser dada ao acesso à água potável e ao saneamento do meio em Pemba, província de Cabo Delgado. Caraça. Tanto desgaste para alertar o Governo a correcções.

É nisto que a nossa bancada acha haver, ainda, muito medo dentro da FRELIMO de se apontarem críticas construtivas e até propostas de melhoria nas mais variadas frentes. E é mau para o desenvolvimento.

Não menos importante é o modo didáctico com que a bancada do MDM apresenta as suas ideias. Aprecia com lupa os dados do PQG para chegar a conclusões alarmantes sobreas estatísticas que o documento nos apresenta.

Se calhar o Governo achava que os deputados são míopes para não verem com os olhos de ver os numerous (alguns) perfilados no documento.

Pena que o MDM tenha pouco tempo de antena. Se os minutos esbanjados pelos frelimistas fossem transferidos alguns para o MDM, muita coisa mudaria.

Por entre-linhas, Nyusi e Agostinho do Rosário terão já dado a entender que o mais importante são ideias válidas para o enriquecimento do Governo, independentemente de onde elas venham.

Algumas mentes, no entanto, ainda não estão seguras disso, muito por culpa de um passado recente (Salvador Raimundo)

Fonte:  Expresso – 13.04.2015


Faleceu o Dr. Jaime Maurício Khamba

Segundo o Macua de Mocambique, faleceu na cidade da Beira o Dr. Jaime Maurício Khamba. É um arquivo da parte da história de Mocambique e dá para rever aqui: Revelações de Jaime Khamba ensombram história da FRELIMO e Mondlane
A Polícia da República de Moçambique (PRM) anunciou hoje a detenção de dois suspeitos de envolvimento na morte do constitucionalista franco-moçambicano Gilles Cistac, assassinado em Março no centro de Maputo.
"A polícia deteve dois indivíduos, indiciados de envolvimento no assassínio de Gilles Cistac. São eles Lúcio Manuel e Arsénio Nhaposse. Eles já foram apresentados ao tribunal da cidade de Maputo e, por termos notado fortes indícios, o tribunal emitiu a prisão dos mesmos", disse hoje à Lusa o porta-voz da PRM em Maputo, Arnaldo Chefo.

Mais um uso desproporcional da força que enfureceu a população Agente da PIC atira a matar em Nampula

O bairro de Namicopo viveu um ambiente de guerra entre populares e autoridades policiais no sábado (11). Em causa, aponta-se a morte de um jovem, identificado apenas por Tchitcho, vítima de baleamento perpetrado por dois agentes da Polícia de Investigação Criminal (PIC).

Os autores do crime alvejaram o jovem, supostamente por desobedecer às ordens da Polícia, mais concretamente ao recusar ser levado à esquadra. Segundo a Polícia, o jovem era acusado de ter roubado um telemóvel. Os populares, que presenciaram o acto considerado macabro, insurgiram-se contra os agentes da lei e ordem. Apercebendo-se da fúria popular, os agentes puseram-se em fuga, ao mesmo tempo que iam pedindo reforço de outras unidades da corporação. A Unidade de Intervenção Rápida (UIR), a então Força de Intervenção Rápida (FIR), foi chamada a intervir com vista a amainar os ânimos da população enfurecida e repor a ordem, segurança e tranquilidade públicas.

Nos tumultos muitas, muitas pessoas perderam os sentidos devido ao gás lacrimogéneo que a UIR lançava. Aliás, sete indivíduos ficaram detidos nas celas da terceira esquadra, supostamente por terem sido apontados como sendo os promotores das escaramuças.

STV AssembleiaRepública 06 04 2015 parcial

domingo, abril 12, 2015

Mais uma pagina da Historia que foi manipulada pela Frelimo!

"Namatil – Uma história mal contada e …mal aproveitada


Linha d'água: Por Luís Loforte

Ninguém nega que meia garrafa de água é uma garrafa meio vazia de água. É uma realidade objectiva. Mas já estaremos perante um absurdo se lutarmos para que meia mentira transforme a história em verdadeira.

Em relação ao último aspecto, o do absurdo, julgo que haverá algo de parecido quando, a propósito do lançamento das comemorações dos 40 anos da nossa Independência, em solo daquilo que outrora se cha­mou por Namatil, posto administrativo de Omar, se afirma que ali ocorreu uma das “batalhas mais de­cisivas da luta armada de libertação nacional…”, designadamente, a 1 de Agosto de 1974. De tão de­cisiva que não foi “disparado nenhum tiro, tendo sido capturados 137 soldados da tropa colonial, que se renderam, e posteriormente entregues, por razões humanitárias, à Cruz Vermelha In­ternacional…”. Tudo isto pode ser lido nas edições do jornal notícias dos dias 6 e 7 de Abril de 2015, em duas abordagens feitas, consecutivamente, pelo jornalista Pedro Nacuo. Nem sei se seria necessário recomendar uma leitura atenta para se concluir que alguma coisa não bate certo.

sábado, abril 11, 2015

FACTS ABOUT AFRICA

1. The Gambia has only one university.

2. Equatorial Guinea is Africa’s only spanish speaking country.

3. South Africa is the most visited African country.

4. Nigeria has the richest Black people in Africa.

5. Samuel Eto’o is the highest paid Footballer of all time, he received about £350,000 weekly in Russia in 2011.

6. A person from Botswana is called a Motswana, the plural is Batswana.

7. A person from Lesotho is called a Mosotho.

8. A person from Niger is called a Nigerien.

8. A person from Burkina Faso is called a Burkinabe.

9. Nigeria has won more football cups than England.

Violência Policial em Nampula??


Texto de Zamir Luís Boavida


O matabicho e o almoço hoje no bairro de Namicopo era somente violencia acompanhada de balas e granadas do gás lacrimogêneo com a duração das 9h ate as 14h30.


O acontecimento foi o seguinte: um jovem acusado de ter roubado uma motorizada que segundo o os comentários dos residentes ele comprava uma motcriada roubada, foi baleado na cabeça pela policia em plena luz do dia 9h numa via pública enfrente da igreja universal na estrada principal do bairro de Namicopo, o pior ao público onde haviam crianças brincando, o agravante o dito ladrão nem fugia e foi baleado ele parado. O povo de Namicopo reagiu no sentido de protesto em manifestação contra á atitude da policia de matar alguém parado que não fugia e onde haviam crianças inocentes brincando, crianças dizendo mama vi um moço que lhe deram tiro na cabeça. Pelo repúdio dos país, policia revoltou-se violentamente contra os residentes de Namicopo lançando gás lacrimogêneo nos quintais deixando mulheres e crianças desmaiadas. Será que isso foi posetivo matar alguém no meio da multidão e lançarem gás nos quintais das pessoas que nem presenciaram e acompalharam o que acontecimento? é triste isso!!! quer dizer que estamos perante a uma polícia qualificada, estamos perante a uma PRM e FIR que ainda não estão preparados e são qualificados. 


In Diálogo sobre Moçambique (12.04.2015)

Carta aberta ao Ministro da Educação, Jorge Ferrão

Nós, os professores, não queremos ser milionários


Por Francisco Wache

Senhor Ministro, tenho acompanhado atentamente o seu trabalho, desde que ascendeu ao cargo de Ministro de Educação e Desenvolvimento Humano. Diga-se, tem sido um trabalho, até agora, excelente. Há, de facto, necessidade de reflectirmos sobre o rumo a que a nossa Educação está a tomar. Tenho aplaudido bastante algumas conclusões a que tem chegado sobre os problemas que enfermam a Educação, daí que tenho sido o seu fã incondicional.

Na quinta-feira, dia 9 de Abril, acompanhei atentamente o seu discurso no Parlamento. E como de costume, fiquei emocionado ao ouvir que sabe falar com propriedade sobre os problemas que enfermam a nossa Educação. Mas também ouvi, com muita tristeza, a firmação de que “em nenhuma parte do mundo o professor é milionário”.

Moçambicanos vítimas de xenofobia na África do Sul

Dois cidadãos moçambicanos perderam a vida na manhã de quinta-feira vítimas de violência xenófoba na região de Durban, província de Kwazulu-Natal, na África do Sul.

A informação, segundo o “Notícias”, veiculada pela Rádio Moçambique, foi confirmada pelo Consulado-Geral de Moçambique em Durban, e é o corolário do agravamento dos ataques xenófobos por parte de cidadãos sul-africanos contra estrangeiros, particularmente moçambicanos.

Actualmente 500 cidadãos estrangeiros, maiormente moçambicanos, foram acolhidos num centro reservado a cidadãos estrangeiros vítimas de violência xenófoba.